Um serviço com elevado potencial de crescimento

13 de Dezembro de 2016

Um serviço com elevado potencial de crescimento

A externalização de serviços de recursos humanos é uma ferramenta de gestão que vai ganhando adeptos nas empresas, sendo que como alternativa ao tradicional trabalho temporário assume aspetos diferenciadores muito interessantes.

Desde logo, permite que o controlo e a responsabilidade da área ou do processo subcontratado tenha KPIs (‘key performance indicators’), podendo estes inclusive ser a base para o modelo de faturação combinado entre prestador e cliente.

A externalização de processos ou áreas permite ainda que o prestador crie serviços comuns para vários clientes, de forma a obter verdadeiras economias de escala, podendo racionalizar as forças de trabalho mediante as necessidades efetivas (por exemplo, uma equipa para cargas e descargas, na mesma zona geográfica, pode ajudar em dias diferentes da semana vários clientes).

De destacar que o ‘outsourcing’, quando bem utilizado, permite parcerias duradouras, legalmente seguras e profícuas para as partes envolvidas (prestadores, trabalhadores e clientes) e de elevada eficiência, dada a sua apetência para ser conectado com base em ‘outputs’ do negócio.

Deixo alguns exemplos de serviços:

1. Um cliente do sector alimentar, com dificuldades no embalamento de produtos não ‘core’, fora das suas linhas de montagem automáticas, que decide colocar em ‘outsourcing’ este processo. Dimensionamento: um ‘team leader’, dois operadores, modelo de faturação por unidade embalada.

2. Um cliente do sector das bebidas, com área não ‘core’ dedicada a visitas guiadas às suas instalações, que externaliza este serviço. Dimensionamento: dois supervisores, 10 guias turísticos, modelo de faturação hora com KPIs ligados ao nível de serviço prestado.

3. Empresa do sector industrial que por exigência do seu cliente tem de externalizar os processos de controlo de qualidade em linha de produção. Dimensionamento: um ‘team leader’, quatro controladores de qualidade, modelo de faturação por peças inspecionadas.

4. Empresa de bens de consumo, que necessita de realizar manipulações às suas paletes, com o objetivo de adaptar os produtos para campanhas comerciais. Dimensionamento: cinco ‘team leaders’, 40 operadores, modelo de faturação por unidade manipulada.

Estes são alguns exemplos de operações de ‘outsourcing’, sendo que os princípios para adaptar estes serviços são simples e de muito larga aplicabilidade: responsabilidade hierárquica do serviço assumida pelo prestador, externalização total de área ou processo do cliente, obtenção de ganhos reais ao transformar custos fixos em variáveis.

O Grupo Multipessoal aplica como princípio da sua postura comercial, a flexibilidade e a adaptabilidade dos seus serviços, aplicando sempre a solução mais adequada para a necessidade efetiva dos seus clientes. Desta forma, o ‘outsourcing’ (assim como o trabalho temporário) é uma solução de gestão de recursos humanos que carece sempre de uma correta articulação, de forma a garantir o escrupuloso cumprimento da lei, o respeito pelos colaboradores afetos aos projetos e o valor acrescido que os serviços devem representar para os clientes. Acima dos serviços que disponibilizamos está a nossa génese de consultoria.

Importa reforçar este aspeto, numa altura em que o mercado de consultoria em Portugal se encontra maduro, com elevado nível de especialização, todos com contas de exploração para gerir, marcadas por ambiciosos objetivos comerciais.

No final, quem trabalha neste sector tem sempre de relembrar o princípio básico da nossa atividade: o que precisa o cliente, como melhor o posso servir, quando podemos começar?

Ricardo Carneiro,  Diretor Norte - Service/Sourcing